Senasa informado

101.910 hectares foram tratados com controladores biológicos no Peru em 2021

Foi lançado um maior número de agentes de controle biológico como Trichogrammas, Chrysoperlas, Beauveria bassiana e Trichoderma, que ajudaram a reduzir o nível populacional de pragas como cana-de-açúcar, sabugo, broca, gorgulho preto, mosca branca, cochonilha, pulgões, mofo cinzento, alternaria, braço preto, sucção e podridão da raiz.

Como parte do fortalecimento da segurança alimentar do país, o Serviço Nacional de Sanidade Agropecuária (Senasa) tratou um total de 101.910 hectares com controladores biológicos durante 2021.

De mãos dadas com os produtores de café, cacau, milho, alfafa, batata, arroz, feijão, citrinos, espargos, abacate, mirtilo, alcachofra, banana, vinha, cana-de-açúcar, gengibre, azeitona e camu camu, a Autoridade Sanitária Agropecuária tem vindo a promover o uso deste método para o controle de pragas, que contribui para a produção de alimentos saudáveis ​​e seguros, em benefício dos consumidores peruanos e do mundo.

Nas atividades de campo, foi liberado o maior número de agentes de controle biológico como Trichogrammas, Chrysoperlas, Beauveria bassiana e Trichoderma, que ajudaram a reduzir o nível populacional de pragas como cana-de-açúcar, sabugo, broca, gorgulho preto, mosca branca, cochonilha, pulgões, cinza mofo, alternaria, braço preto, gafanhoto e podridão da raiz.

A estratégia do Senasa não só estabelece a liberação de agentes biológicos no campo, mas também envolve a realização de palestras permanentes, permitindo que 19.970 pequenos produtores conheçam mais sobre o uso e os benefícios dessa prática ecologicamente correta.

O controle biológico consiste no uso de insetos, ácaros e microorganismos benéficos, comumente chamados de agentes de controle biológico (BCA), para controlar pragas agrícolas que reduzem diretamente a produção, conseguindo evitar perdas significativas na produtividade das culturas.

Esses ACB controlam pragas como insetos e ácaros de forma natural, com diferentes mecanismos de ação (parasitismo, predação, etc.) e também atuam contra fitopatógenos que causam doenças nas lavouras.

Senasa nas regiões
Em sinergia com as estratégias de campo, o Senasa também certifica avaliadores de pragas e controladores biológicos, que em sessões teórico-práticas reconhecem e avaliam pragas que danificam culturas de importância econômica. A nível nacional, existem 1,082 avaliadores que são reconhecidos e certificados pela autoridade fitossanitária.

De 2015 a 2021, o Senasa tratou 963.023 hectares com uma ampla variedade de controladores biológicos. Dessa forma, nos últimos anos essas ações foram fortalecidas, tanto nos laboratórios de propriedade do Senasa quanto com o apoio de 59 laboratórios de produção (em nível nacional) que possuem convênio em vigor com a autoridade fitossanitária.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Cerejas chilenas: uma temporada discutível
Os mirtilos de Yunnan estão atualmente em sua última temporada...
Agrivoltaicos para frutas vermelhas