2015 Ano Internacional dos Solos: Atual Atlas dos Solos da América Latina

No contexto da última 2015 Feira do Livro realizada em Havana, Cuba, e no marco do Ano Internacional dos Solos celebrado pela Organização das Nações Unidas, foi lançado o "Atlas dos Solos da América Latina e do Caribe". "Feito por Cuba.

A publicação foi financiada pela Comissão Europeia e patrocinada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), em conjunto com a Aliança Global do Solo e redes de investigadores, com a participação de especialistas de toda a região.

O lançamento contou com a presença do representante da FAO em Cuba, Senhor Theodor Friedrich, e faz parte do programa de atividades do Sistema das Nações Unidas na Feira do Livro 2015, no contexto do Ano Internacional dos Solos.

Durante o lançamento da publicação, Friedrich lembrou que o solo se forma muito lentamente, mas é facilmente destruído, e muitos no mundo acreditam que sua degradação pode acabar com a vida do planeta antes das mudanças climáticas.

"A apresentação deste Atlas, justamente no Ano Internacional dos Solos, visa justamente compreender as ameaças a que está sujeito este recurso, onde o maior continua a ser o cultivo mecânico e, ao mesmo tempo, conceber uma produção agrícola produtiva e sustentável. , como a proposta pela agricultura de conservação, uma forma de cultivar sem cultivar o solo, já praticada em 11% das terras agrícolas do mundo", Disse o representante da FAO.

Por sua vez, o Dr. Olegario Muñiz, presidente da Sociedade Cubana de Ciências do Solo, explicou que o Atlas oferece detalhes sobre as características das terras de cada nação na América Latina e no Caribe, e até apresenta sistemas tradicionais indígenas. de lavoura

Entre os méritos da publicação, acrescentou Muñiz, está a qualidade dos mapas publicados, que oferecem informações atualizadas e abundantes sobre as propriedades do solo, os processos de degradação a que está sujeito, o impacto das mudanças climáticas, usos diversificados da terra, além de apresentar opções para se concentrar na recuperação e preservação.

O especialista também quis dizer que o Atlas é um guia para tomar decisões, com o mérito de usar uma linguagem acessível para cientistas, educadores, formuladores de políticas, agricultores ou ambientalistas.

 

Fonte: FAO.org

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Produzir mirtilos num pote ou num saco?
As vantagens de ter acesso a dados que permitem à sua organização...
Alcançar o potencial máximo das novas variedades de mirtilos: Mace...