Crescimento se deve principalmente ao melhor desempenho do agronegócio e hidrocarbonetos

ADEX: Exportações somaram US$ 42.467 milhões entre janeiro e agosto de 2022, com alta de 13.1%

As exportações peruanas entre janeiro e agosto de 2022 totalizaram US$ 42.467 milhões, experimentando um aumento de 13.1% em relação ao que foi alcançado no mesmo período de 2021, principalmente devido ao melhor desempenho do agronegócio e hidrocarbonetos; no entanto, ainda há 8 setores que não ultrapassaram seus máximos históricos, informou a Associação dos Exportadores (ADEX).

A agricultura tradicional, por exemplo (US$ 721.2 milhões), não chega a US$ 780 milhões de janeiro a agosto de 2011, nem a pesca primária (US$ 1.843.300.000) e a mineração tradicional (US$ 23.863.600.000) os US$ 1,919 milhão e US$ 24,010 milhões ano (janeiro-agosto), respectivamente. Outros eram têxteis, vestuário, pesca para consumo humano direto, madeira e diversos.

O presidente da instituição sindical, Julio Pérez Alván, insistiu em seu pedido para criar um ambiente de previsibilidade que gere confiança para a retomada do investimento privado de longo prazo, além de outras medidas setoriais como o projeto do Ministério da Economia e Finance (MEF) com o objetivo de garantir o abastecimento de ouro no país.

“É hora de nossas autoridades resolverem os problemas estruturais do Peru, levando em conta a estabilidade macroeconômica, a responsabilidade fiscal e o combate direto à corrupção”, comentou.

Cabe destacar que o detalhamento mensal mostra que os embarques nacionais cresceram em janeiro (20.9%), fevereiro (28.1%), março (20.7%), abril (14.1%), junho (21.5%) e agosto (5.6%). ); e caiu em maio (-1%) e julho (-0.9%).

Escritórios
O relatório do Centro de Pesquisa em Economia e Negócios Globais da Associação de Exportadores (CIEN-ADEX) detalhou que os embarques primários, que somaram cerca de US$ 30.870.800.000, aumentaram 10.9% em relação ao mesmo período do ano anterior ( US$ 27.848 milhão).

A mineração (US$ 23.863 milhões) reduziu seus embarques em -0.6% – o cobre continuou sendo o principal produto com quase US$ 11.500 milhões apesar de reduzir seus embarques em -1.2%–, e a pesca tradicional (US$ 1.843 milhões) -3.9%. Os hidrocarbonetos (US$ 4.443 milhões) cresceram 169.5% e a agricultura tradicional (US$ 721.200.000) +166.4%.

Por sua vez, os embarques com valor agregado entre janeiro e agosto deste ano somaram mais de US$ 11.596.100.000, um aumento de 19.5% em relação ao mesmo período de 2021 (US$ 9.700 milhões). Todos os setores apresentaram resultados positivos.

Os dois mais importantes foram o agronegócio com US$ 5.065.400.000 (+12.9%) e o químico com US$ 1.562.300.000. Seguiram-se ferro e aço com US$ 1.141.600.000, pesca e aquicultura US$ 1.087 milhões e vestuário com US$ 936.142.000, entre outros.

Mineração não metálica, vestuário e produtos químicos se destacaram pelo maior aumento em relação ao mesmo período de 2021, com 54.4%, 36.9% e 34.7%, respectivamente.

O relatório CIEN-ADEX informa que, a partir de agosto de 2022, observou-se um maior número de produtos exportados (+84) e empresas exportadoras (+577), situando-se em 3.879 e 6.975.

Por outro lado, o número de destinos caiu de 166 para 161. China foi o principal com 34% do total, chegando a US$ 14.447.200.000, seguido pelos Estados Unidos com US$ 5.419.700.000, Japão, Coreia do Sul, Canadá, Índia, Reino Unido , Chile, Suíça e outros.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Cerejas chilenas: uma temporada discutível
Os mirtilos de Yunnan estão atualmente em sua última temporada...
Agrivoltaicos para frutas vermelhas