O presidente da ADEX, Julio Pérez Alván, destacou

Exportações agrícolas peruanas ultrapassariam US$ 10.000 bilhões neste ano

Este ano, as exportações agrícolas peruanas (tradicionais + não tradicionais) ultrapassarão US$ 10.000 bilhões, estimou o presidente da Associação de Exportadores (ADEX), Julio Pérez Alván, no primeiro dia da ExpoAlimentaria 2022, a maior feira de alimentos e bebidas importante na região.

Ressaltou que esse milagre das exportações agropecuárias peruanas não tem uma causa única, mas se deve a vários fatores, entre eles os Acordos de Livre Comércio, a Lei de Promoção do Setor Agrário, o uso de fontes de água confiáveis ​​e eficientes, a legislação em terra, assim como o grande papel do empresário agroexportador e o fortalecimento da parte sindical em que ADEX e AGAP cumpriram e continuam a cumprir um papel fundamental.

“Entre todos esses fatores, destaca-se a feira ExpoAlimentaria, que está em funcionamento ininterrupto há 14 anos. Por isso a feira ExpoAlimentaria tem um sentimento de pertencimento para todos os colaboradores da ADEX e sabemos o quanto é orgulhoso que a mais importante feira de alimentos e bebidas da América Latina volte ao seu formato presencial”, disse.

Ele destacou que a ExpoAlimentaria é considerada um espaço muito importante no qual se valoriza a diversidade da oferta nacional, destacando as vantagens competitivas do Peru em relação a outros países.

Ele indicou que a feira é um centro de criação de sinergias, troca de ideias, tratando de questões não apenas relacionadas ao campo ou ao centro de produção, mas também referente a toda a cadeia alimentar que vai desde a colheita, pós-colheita, transporte , consumo , com foco nas tendências mundiais em novas formas de agricultura, rica em informações e precisa na ação.

“Defendamos o que foi alcançado até agora e reforcemos o trabalho de novas tendências como agricultura orgânica, segurança de cultivos, uso de recursos, digitalização, economia circular, entre outras, seguindo esses princípios promete sustentabilidade ao longo do tempo”, sustentou.

“O mais importante é a unidade, responsabilidade e coerência do setor privado para que esse milagre econômico que é o agronegócio continue sendo uma das locomotivas mais poderosas para o tão esperado desenvolvimento do país”, acrescentou o presidente da ADEX.

Julio Pérez Alván disse que nos três dias que dura a feira (começou ontem e termina amanhã) serão realizados negócios estimados em US$ 150 milhões, contribuindo assim para o crescimento de nossas agroexportações.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Chile: "Abastecer um mercado 'faminto' por cerejas e, ao mesmo tempo...
Produção de mirtilo avança no Brasil
Embalagem 2.0: inventam hidrogel que retarda o apodrecimento das frutas