América Latina e África serão líderes na produção agrícola na próxima década

A OECD-FAO Agricultural Outlook 2015-2024, o relatório disse que a América Latina e África vai liderar o crescimento global, com taxas anuais 1,8 2,4% e%, respectivamente ao longo dos próximos dez anos.

Também destaca que a América Latina e o Caribe manterão a liderança na expansão da agricultura global, graças a melhores colheitas e à expansão da área agrícola.

Em nível global, apesar da demanda robusta, as possibilidades de expansão da produção agrícola são limitadas por fatores como limitações na expansão das terras agrícolas, preocupações ambientais e mudanças no ambiente político.

Em contraste, as limitações em termos de terra e recursos naturais são menores na América Latina e no Caribe, o que permitirá um maior crescimento produtivo como resultado da expansão da área agrícola e melhores níveis de rendimento das culturas.

Oleaginosas e grãos grosseiros e predominam em termos de uso da terra na América Latina e no Caribe, e em resposta à forte demanda por farinhas de bagaços oleaginosos, a área dedicada à oleaginosas crescerá em média 1,2% ao ano durante o próxima década.

Embora uma maior proporção da área adicional semeada com sementes oleaginosas, esta expansão não será à custa de outras grandes culturas, como a área de grãos grossos plantada também crescem 0,7% ao ano, enquanto a área dedicada ao trigo irá expandir 0.6% por ano entre 2015-2024.

Perspectivas para o Brasil

O relatório Perspectivas Agrícolas deste ano contém um foco especial no Brasil, que deverá capturar a maior parte da expansão do comércio agroalimentar que virá do crescimento da demanda de importação, especialmente da Ásia.

O crescimento da agricultura brasileira está previsto para ser impulsionado por melhorias contínuas na produtividade, maior rendimento das culturas, alguma conversão de pastagens para terras aráveis ​​e uma produção mais intensiva de gado.

Reformas estruturais e uma reorientação do apoio a investimentos que aumentem a produtividade, por exemplo em infra-estrutura, poderiam fomentar essas oportunidades, bem como acordos comerciais que poderiam melhorar o acesso a mercados estrangeiros.

O Brasil fez um progresso excepcional na eliminação da fome e na redução da pobreza. As perspectivas de novas reduções na pobreza através do desenvolvimento agrícola estão melhorando para alguns produtores de culturas alimentares, bem como para os produtores de produtos de maior valor, como café, horticultura e frutas tropicais.

 

Fonte: Inforegion.pe

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Onubafruit, o primeiro produtor de bagas em Espanha embora reduza 11%...
Grande participação da indústria no Fall Creek Field & Forum em G...
Agroexportadores pedem estabilidade política e social, segurança e infraestrutura...