Cranberry seria a terceira fruta mais exportada no 2017

Cranberries pode se tornar o 2017 na terceira fruta mais exportada, disse o CEO da Sierra Exportadora, Alfonso Velásquez, durante a inauguração da «Seminário Internacional de Berry – Regiões 2016», realizada sexta-feira passada em Arequipa.

Ele indicou que isso seria alcançado se os investimentos fossem mantidos e sua cadeia produtiva continuasse a ser fortalecida, na qual os pequenos produtores desempenham um papel muito importante.

Ele estimou que este ano as exportações de mirtilo fechariam em US $ 200 milhões e 2017 em US $ 350 milhões, superando mangas e bananas. "A cadeia de produção de mirtilo geraria cerca de 200 mil postos de trabalho este ano, o que inclui pessoal de campo, colheita, embalagem, técnicos e profissionais", ele disse.

Atualmente os mirtilos ocupam o quinto lugar no ranking de frutas exportadas, depois das uvas, abacate, manga e banana, porém, nos últimos anos, cresceu em ritmo surpreendente, passando de apenas US $ 32.416 no 2010 para os EUA. US $ 96.6 milhões no ano passado.

Seu crescimento no 2015 foi de 219% em relação ao 2014, devido a sua demanda em países como Estados Unidos, Holanda, Reino Unido, Hong Kong, Espanha e Cingapura, principalmente. Aqueles que se juntaram ao 2015 foram Canadá, Suíça, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Dinamarca.

Velasquez disse que a primeira região do país onde as bagas foram introduzidas foi Arequipa, que atualmente tem cerca de 138 hectares semeados, principalmente morango, seguido por aguaymanto, mirtilo e framboesa, mas com o apoio técnico e financeiro adequado, pode quadruplicar essa área a médio prazo, adicionando produtos como cereja e amora.

Para tanto, todos os integrantes da cadeia produtiva devem continuar treinados em temas como processo de produção, inteligência comercial para identificar mais compradores e facilitar o acesso ao financiamento. "Sierra Exportadora treina na colheita e pós-colheita, implementa e executa planos de negócios, trens e assessora na implementação de Boas Práticas Agrícolas"Ele disse.

Ele especificou que o cultivo de frutas orgânicas também é promovido, a oferta dos produtores está ligada aos mercados mais adequados que os favorecem e é fornecido apoio para a apresentação de projetos para acesso ao financiamento.

Arequipa exportador

No 2015 Arequipa era a sétima região de exportação de blueberries, precedida por La Libertad, que é a mais importante, Ancash, Lima, Ica, Piura e Cajamarca. No caso de aguaymanto, foi também a sétima região exportadora, depois de Lima, La Libertad, Lambayeque, Cusco, Cajamarca e Junín.

"Bagas representam uma oportunidade que deve ser explorada, há uma demanda reprimida, especialmente no exterior. É hora de os pequenos produtores assumirem um papel maior e, pouco a pouco, se tornarem parte da cadeia de exportação ", referiu Velasquez.

 Fonte: Agraria.pe

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

As geadas devastadoras causam perdas significativas de mirtilos nos U...
Sonho azul: Ucrânia bate recorde histórico de exportação de mirtilo...
José Antonio Gómez-Bazán, CEO da Camposol: qual o segredo do sucesso...