China: importações de frutas crescem em 2021 e exportações diminuem

Segundo dados da Administração Geral das Alfândegas da China (GACC), a China estabeleceu novos recordes de importação e exportação de frutas em 2021. O volume global de importação e exportação de frutas atingiu 11,22 milhões de toneladas no valor de 22,23 bilhões de dólares. Este foi um aumento de 540 mil toneladas ou 5,05% em relação a 2020, e um crescimento de US$ 3 bilhões ou 16,02%.

importações em alta

Os dados de importação mostram que a China importou muito mais frutas em 2021 do que em 2020, tanto em volume quanto em valor das importações. A China importou 7,46 milhões de toneladas de frutas em 2021 no valor de 15,89 bilhões de dólares, o que representa um aumento de 800 mil toneladas de frutas e 3,8 bilhões de dólares, ou 12,03% e 31,42%, respectivamente.

Em 2021, a China importou principalmente bananas e durões. As bananas representaram 24,96% do volume de importação de frutas em 2021 e o durião 11%. No entanto, a banana representou apenas 6,54% do valor das importações e o durian cerca de 26,45%.

Queda nas exportações

A China é um dos maiores produtores e exportadores de frutas do mundo. Os dados do GACC mostram que as exportações da China caíram após dois anos de crescimento. O volume exportado foi de 3,75 milhões de toneladas e o valor das exportações foi de 6.330 milhões de dólares. Este foi um decréscimo de 260 mil toneladas ou 6,51% em relação ao volume de exportação de 2020, e o valor das exportações caiu 731 milhões de dólares ou 10,35%.

A China exportou principalmente maçãs, frutas cítricas, peras frescas e uvas. As maçãs representaram 28,69% do volume exportado, frutas cítricas 17,91%, peras frescas 12,64% e uvas 9,33%. As maçãs também representaram 22,57% do valor das exportações, os citrinos 15,99%, as uvas frescas 9,04% e as uvas 11,96%.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

A Freshfel Europe defende a competitividade do setor dos produtos frescos...

Projeto de robótica aponta para uma 'mudança de mar' no p...

A crise agroalimentar piora após sete meses de guerra no...