Assinatura de um acordo entre a China e Marrocos

A convenção sobre o Plano de Implementação Conjunta do Cinturão e Rota entre o Reino de Marrocos e a República Popular da China foi assinada esta quarta-feira durante uma cerimónia organizada por videoconferência.

Foi assinado pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Cooperação Africana e Marroquinos Residentes no Estrangeiro, Nasser Bourita, e pelo Vice-Presidente da Comissão Nacional Chinesa de Reforma e Desenvolvimento (CNDR), Ning Jizhe.

Esta Convenção visa promover o acesso ao financiamento chinês fornecido pela Belt and Road Initiative (BRI) para a realização de projetos de grande escala em Marrocos ou para a facilitação do comércio, o estabelecimento de joint ventures em vários domínios (parques industriais, energia, incluindo energia renovável).

Também está relacionado à cooperação em Pesquisa e Desenvolvimento (tecnologia, energia, agricultura, etc.), cooperação tecnológica e técnica, bem como formação profissional.

O governo chinês compromete-se, por força deste acordo, a incentivar as grandes empresas chinesas a estabelecerem e/ou investirem em território marroquino (indústria automóvel, aeronáutica, alta tecnologia e comércio eletrónico, indústria agrícola e têxtil...).

Lançada em 2013 pelo presidente Xi Jinping, sob o nome "One Belt, One Road", a Iniciativa do Cinturão e Rota (BRI) é um conjunto de ligações marítimas e ferroviárias entre a China e os países aderentes.

Sua ambição é promover novas oportunidades de cooperação entre a China e os 140 países que a ela se juntaram. Baseia-se no diálogo, parceria, aprendizado mútuo e inspiração, em vez de confronto e alinhamento.

Desde o seu lançamento, Marrocos foi o primeiro país em África a aderir à iniciativa “Belt and Road”.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Cerejas chilenas: uma temporada discutível
Os mirtilos de Yunnan estão atualmente em sua última temporada...
Agrivoltaicos para frutas vermelhas