Seminário Internacional de Mirtilo Peru 2022

Tour técnico no Peru: especialistas em mirtilo trocam conhecimento com empresários de fazendas inovadoras

Os expositores do Seminário Internacional sobre Blueberries Peru 2022 puderam visitar as fazendas San Gallán e Family Farms Peru no deserto de Pampa Califórnia.

Depois de uma viagem de quase três horas à região de Ica, os especialistas em mirtilo puderam visitar as fazendas San Gallán e Family Farms no dia anterior ao seminário Blueberries Consulting no Peru, assessorado pelo especialista em química do solo e nutrição vegetal, Jorge Esquivel; testemunhar, analisar e apoiar o cultivo de mirtilos nas dunas costeiras do Peru.

O encontro contou com a presença de Ivone de Bem Oliveira, criadora-chefe do Hortifrut; Gerard Krewer, Consultor Internacional de Extensão da Universidade da Geórgia; Jessica Rodriguez, consultora e especialista em pós-colheita; Gerardo Núñez, Doutor em Ciências Hortícolas pela Universidade da Flórida; e Dr. Jorge Retamales, pesquisador e consultor internacional.

Sobre a oportunidade, Jessica Rodríguez, próxima expositora do Seminário Internacional de Mirtilo Chile 2022, afirmou: “O crescimento do Peru é impressionante. Como conseguiram entrar em uma safra que não conheciam e hoje estar no local em que estão. É sempre interessante vir conhecer a área geográfica onde é produzido e a energia com que é desenvolvido. É incrível, impressionante."

O anfitrião foi Juan Pablo Bentín, fundador da Family Farms Peru, que por mais de quatro horas guiou os especialistas pelas longas fileiras verdes de mirtilos, destacando-se na paisagem árida. Os mirtilos plantados em San Gallán atingem 36 hectares e são da variedade Biloxi, com ensaios das variedades peruanas Matías e Salvador, enquanto os de Family Farms Peru são Eureka Ridley, Sunrise e Sunset, que chegam a 300 hectares. Ambos os projetos devem lidar com condições muito diferentes daquelas onde os mirtilos selvagens originalmente cresceram, com altos graus de radiação do deserto e fortes ventos costeiros.

Sobre a fazenda, Jorge Retamales disse: “Há 15 anos era apenas areia, agora graças à tecnologia e conhecimento, um número significativo de plantações foi instalado. São testes impressionantes, porque um no Chile está acostumado a plantar 20 hectares, aqui são 100 hectares por ano, com muito conhecimento, muita tecnologia implementada nesse campo.”

Durante o passeio, a equipe técnica das fazendas aproveitou a presença de especialistas em genética, fisiologia vegetal, desenvolvimento radicular e nutrição para obter conselhos sobre o cultivo experimental, mas bem sucedido, de mirtilos em substrato com mais de 99% de areia.

Ao mesmo tempo, acadêmicos e pesquisadores aproveitaram para conhecer detalhadamente o projeto de vanguarda, observando seus resultados e discutindo suas observações sobre o desenvolvimento das plantas no local.

“Eles estão aprendendo muito rápido. É perceptível nas plantas, não detectamos desequilíbrio nutricional. Então, apesar dos grandes números do número de plantas, do número de hectares, há um cuidado com quase cada planta que é muito bem manejada”, disse o Dr. Retamales.

Gerardo Núñez, dedicado ao estudo das raízes de mirtilo, surpreendeu-se com o desenvolvimento destas nos mirtilos de ambas as quintas.

“Uma coisa que eu adorei no que vimos hoje na fazenda é que você tem plantas altas que fazem raízes profundas e plantas mais curtas que têm raízes mais rasas. Há muito efeito genético nisso, que está muito alinhado com pesquisas que foram feitas na Flórida olhando para a genética do sistema radicular, para ter melhores cultivares com melhores raízes”, explicou o pesquisador.

Enquanto Gerard Krewer, Jorge Retamales e Ivone de Bem Oliveira comentaram e apoiaram o trabalho dos técnicos, partilhando os seus conhecimentos sobre como melhorar as estratégias nutricionais de acordo com as condições ambientais, as necessidades das variedades e o seu comportamento genético.

“É benéfico tanto para o produtor e sua equipe, quanto para nós que viemos de outros ambientes. Ambos os lados aprendem: eles que têm dúvidas e precisam de propostas, e nós que temos que pensar em como a usina reagiria a tal situação. Acredito que a visita seja positiva porque se vê que há todo um esforço de desenvolvimento, estando muito ávidos por conhecimento e também muito gratos pela proposta que lhes fizemos”, disse o Dr. Retamales.

Ao final do passeio, Jessica Rodríguez teve a oportunidade de apreciar as instalações tecnológicas de pós-colheita da fazenda Family Farms Peru, conversando com Juan Pablo Bentín sobre os resultados das estratégias utilizadas pelos técnicos para manter a qualidade de seus frutos até o mercado de destino.

Todos ficaram impressionados com as facilidades no meio do deserto peruano para irrigar as plantas, com sofisticados sistemas de fertilização, conseguindo entregar os fertilizantes para diferentes setores dependendo da variedade e suas necessidades.

Sobre a equipe técnica da fazenda, Jorge Retamales concluiu: "As dúvidas sempre foram sobre como melhorar o desenvolvimento das plantas, o rendimento, a qualidade... eles estavam fazendo bem, mas queriam fazer ainda melhor".

fonte
Catalina Pérez R.- Consultoria Mirtilos

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

“Segregação e controle, controle e mais controle…”

Driscoll's concorda com os termos da aquisição da Berry Gardens

Análise do panorama mundial da produção de mirtilo