Greve do Senasa começa apesar de melhores ofertas de bônus do governo

As agroexportações podem sofrer um grande golpe se os trabalhos do Serviço Nacional de Sanidade Agropecuária (Senasa) pararem, como anunciaram os membros do sindicato da referida instituição para este dia 24 de outubro devido às frustradas negociações para o aumento das escalas salariais (semelhante aprovação às demais agências vinculadas à Midagri).

De acordo com a mídia como "Kimbiri VRAEM", o escritório do Senasa em Kimbiri (Cusco) foi encontrado fechado esta manhã e com vários cartazes anunciando o início da greve. Enquanto isso, de Tacna, a "Rádio Uno" informou que o complexo fronteiriço de Santa Rosa naquela cidade foi bloqueado por trabalhadores do Senasa, exigindo intervenção policial. Também na zona norte, o meio de comunicação “Tumbes Digital” relata o apoio dos trabalhadores à medida de força.

Javier Bereche, presidente da Câmara de Comércio (Camco) de Piura, exortou o Governo a cumprir as exigências salariais do sindicato Senasa para não prejudicar as exportações agrícolas. “O governo deve garantir a emissão desses certificados, pois eles são prioritários para atestar que o produto atende aos requisitos sanitários e, portanto, garantir a entrada de nossa mercadoria nos exigentes países de destino. Se o certificado não for emitido, a mercadoria agrícola não sairá do país e outras atividades da cadeia logística também serão afetadas”, disse ele ao jornal Piura “El Tiempo”.

Na noite de domingo, o Senasa anunciou que havia enviado ao sindicato uma terceira e última proposta aprimorada para um bônus único e extraordinário a ser entregue em dezembro deste ano por S/ 2.000. A isto acrescentar-se-ia um bónus adicional como Bónus Excepcional único de S/ 550, também em Dezembro, obtido através da adesão à Negociação Colectiva Centralizada no passado mês de Junho.

O órgão de gestão da saúde informou ainda que existe um compromisso com o MEF de entregar outra dotação económica única semelhante em 2023, que não condiciona negociações para o próximo ano nem a dispensa de benefícios para o referido exercício (como o reajuste salarial mensal para todos trabalhadores dos regimes 728 e CAS), produto da negociação centralizada. A proposta teve que ser aceita antes de 26 de outubro, após o que eles não poderão sustentá-la.

“Dado o nosso compromisso com o país, os nossos utentes e cidadãos em geral, informamos que em conjunto iremos implementar as ações necessárias de forma a garantir a continuidade dos serviços que prestamos, sempre no cumprimento das disposições regulamentares vigentes”, concluiu no comunicado. liberar.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Cerejas chilenas: uma temporada discutível
Os mirtilos de Yunnan estão atualmente em sua última temporada...
Agrivoltaicos para frutas vermelhas