Pesquisadores do INIA destacaram a importância de ter novas variedades de bagas no Maule

A informação de fundo foi apresentada num seminário virtual realizado no âmbito do projecto "Prospecção e validação de novas alternativas de bagas de elevado valor nutritivo para dinamizar a indústria da região do Maule", uma instância apoiada pela Fundação para a Inovação Agrária (FIA) e que executa o INIA até ao final de 2021.

“Ter informações sobre os requisitos de cada variedade e sobre os objetivos de produção permite aos produtores ter sucesso em sua produção”, disse Carmen Gloria Morales, pesquisadora do INIA Raihuén, no seminário “Mirtilos e framboesas na região do Maule: caracterização setorial e análise varietal ”. A atividade organizada pelo INIA e FIA ​​contou com a presença de mais de setenta produtores, assessores técnicos e representantes do agronegócio do setor de bagas da região.

O engenheiro agrônomo destacou que ter informações rápidas, claras e completas permite que melhores decisões sejam tomadas, seja qual for a atividade na cadeia do fruto. Ele acrescentou que esta é a forma de recuperar a competitividade global do setor que um país tinha até um tempo atrás. “No caso das framboesas, o Chile ocupou uma posição mundial muito boa na produção e exportação no mercado de congelados. Hoje passou para o terceiro lugar ”. Explicou que a baixa competitividade se deve à incorporação de mais países exportadores de framboesa, alguns deles com custos menores por estarem mais próximos dos mercados de destino, e também pela baixa qualidade do material vegetal estabelecido. “Deve ser gerada a possibilidade de que os produtores chilenos possam optar por novas e melhores variedades, para obter frutas de melhor qualidade em termos de tamanho, firmeza e maior produção”, frisou.

Projeto de diversificação de variedades de frutas silvestres

Morales indicou que o setor precisa melhorar em alguns aspectos para aumentar as exportações. “No mirtilo é necessário melhorar a firmeza da fruta (necessária para que resistam a viagens a outros continentes) e na framboesa o tamanho e a produtividade do fruto devem ser aumentados”. Ele ressaltou que o potencial produtivo de cada variedade não está sendo prejudicado, o que acontece porque “os produtores estabelecem variedades de mirtilos e framboesas em locais que não são adequados, em termos de temperatura e irrigação para cada variedade, assim é feito é muito necessário conhecer as características produtivas, vegetativas e frutíferas de cada variedade ”.

O investigador afirmou que é muito importante que os actores do sector do baga participem nas actividades de formação, visto que fornecem informação relevante validada pelo INIA e inovações de entidades complementares.

Entretanto, o investigador e economista agrário do INIA Quilamapu, Jorge González, destacou que a fruticultura regional, dado o seu crescimento, é um sector chave na economia da Região do Maule, onde o mirtilo e a framboesa dominam. Ele indicou que a heterogeneidade dos produtores de framboesa é característica deles, que em sua maioria possuem pequenas áreas, enquanto os produtores de mirtilo tendem a ser em maior escala. O especialista acrescentou que o subsetor tem desafios pelo seu alto dinamismo e competição internacional. A este respeito, referiu que dois aspectos são fundamentais para o desenvolvimento do sector: por um lado, o conhecimento da "situação" e das características dos produtores e, por outro, as perspectivas que apresentam as variedades comerciais actuais e potenciais. “Os dois fatores são decisivos para atender à demanda externa”, enfatizou.

Autoridades destacam apoio ao setor de bagas em Maule

Durante o seminário, o Director Nacional do INIA, Pedro Bustos, valorizou o trabalho que o INIA tem desenvolvido na região do Maule em conjunto com a Secretaria Regional Ministerial da Agricultura, INDAP, SAG e, em particular, a FIA. Neste sentido, destacou o desenvolvimento de várias iniciativas como o “Programa de Extensão Berries Maule”; o Bureau regional de Drosophila suzukii; e treinamentos através do Conselho de Juventude Rural e líderes. Ele indicou que a estes são adicionados dois novos projetos recentemente adjudicados e apoiados pelo Governo Regional de Maule e que eles serão focados em áreas-chave como o manejo de pragas. Drosophila suzukii e outra iniciativa que fortalecerá o cultivo de arroz.

Bustos indicou que apesar da complexidade que representa a pandemia, o INIA Raihuén tem fortalecido as atividades de transferência e extensão, destacando mais de 30 treinamentos virtuais sobre bagas, e vários outros realizados em conjunto com o INDAP. “Isso tem permitido disseminar tecnologias, atualizar conhecimentos e manter contato permanente com produtores, profissionais e assessores técnicos do setor”, destacou.

Enquanto isso, o gerente macrozonal da FIA, Robert Giovanetti, destacou "o grande trabalho realizado no âmbito do programa de bagas". Acrescentou que na sua execução “conseguimos chegar ao setor produtivo com grandes ações e hoje estamos encerrando as atividades deste ano com este grande seminário”. O gestor deu o seu reconhecimento ao trabalho realizado, que “será muito útil para toda a cadeia de valor do fruto”.

Por fim, o seremi da agricultura, Luis Verdejo, destacou o apoio que o sector tem tido através do Programa de Extensão de Bagas do INIA. “Este programa e outras iniciativas anteriores permitiram caracterizar as limitações e lacunas de crescimento e desenvolvimento da indústria e trabalhar para superá-las”. Nesse sentido, destacou o trabalho dos pesquisadores do INIA “por estarem sempre presentes com muito destaque no desenvolvimento do setor de bagas no Chile”.

O seminário contou com apresentações da profissional da Odepa, Javiera Pefaur, que apresentou o tema “A indústria exportadora chilena: análise da situação e perspectivas”; do investigador do INIA Jorge González que se referiu à “Caracterização sectorial dos bagos: análise dos produtores e microambiente”; e a investigadora do INIA Raihuén, Carmen Gloria Morales, que apresentou “Análise varietal da framboesa e do mirtilo: origem, situação actual e perspectivas”.

Na ocasião, o investigador Morales apresentou a publicação do INIA "Mirtilos e framboesas na região do Maule: caracterização sectorial e análise varietal" que brevemente estará à disposição dos produtores em formato digital.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

As geadas devastadoras causam perdas significativas de mirtilos nos U...
Sonho azul: Ucrânia bate recorde histórico de exportação de mirtilo...
José Antonio Gómez-Bazán, CEO da Camposol: qual o segredo do sucesso...