Miguel Valero: "Nunca foi tão fácil produzir ..."

8 ° Seminário Internacional em Tucumán, Argentina

Miguel Valero, gerente da AGQ Labs, lembra e lembra que já se passaram três anos desde o início do ciclo de Seminários Internacionais de Mirtilos, organizados e patrocinados conjuntamente pela Blueberries Consulting e AGQ Labs.

Com a oitava edição de San Miguel de Tucumán, na Argentina, haverá mais de 2200 pessoas que vieram para diferentes edições, para aprender e avançar no conhecimento desta cultura única. Em sua gestão, em boas práticas para garantir o sucesso e tendências que apontam mercados internacionais.

São dias de grande afluência de assistentes e um grande nível de conteúdos e temas, além do profissionalismo dos relatores ou conferencistas, geralmente acadêmicos, pesquisadores ou especialistas reconhecidos por meios.

As reuniões colocam a ênfase em um bom diagnóstico da realidade local e suas perspectivas, razão pela qual eles estão focados em preocupações locais, mas sem nunca perder de vista o cenário global de produção, tendências e evolução dos mercados.

Os desafios que ela prevê para a indústria de mirtilo argentina são múltiplos: permanecer no mercado internacional de maneira competitiva. Ele reconhece condições e capacidades "tão bom ou melhor do que alguns dos seus vizinhos", E garante que, com os ajustes necessários em alguns aspectos, como gestão ou questão varietal, a Argentina pode ser um líder mundial na produção de mirtilo.

"Eu digo isso com convicção. Algum tempo atrás eu parei de acreditar em crises agrícolas, porque por definição elas são intrínsecas ao setor e, como resultado, elas são simplesmente ciclos que você tem que saber como lidar", Enfatiza o especialista.

No 8º Seminário Internacional de Blueberry em Tucumán, a cargo da Blueberries Consulting e AGQ, são dadas as chaves para enfrentar os novos desafios que se apresentam à indústria argentina de mirtilo. Aborda-se desde os aspectos básicos, em relação ao manejo, solo, poda, passando pelas questões fitossanitárias e radiografando entretanto o papel e potencial da Argentina no contexto regional e internacional.

Porque enquanto a demanda internacional cresce, há espaço para planejar estratégias e planejar o futuro. Valero enfatiza que a Europa, os EUA, a Rússia e a Ásia estão expandindo os mercados ".e que, embora sejam atraentes, devemos conhecer bem suas exigências e regulamentações em termos de qualidade e resíduos de produtos fitossanitários.".

"Nunca produzir foi tão fácil, embora a venda todos os dias exija um pouco mais de habilidade, prejuízo comercial e profundo conhecimento dos mercados-alvo, de modo a não falhar", Diz Valero e acrescenta:

"É necessário ganhar o reconhecimento para chegar a uma posição vantajosa de marca do país, o que pode ser alcançado identificando e apostando nas chaves que fazem do mirtilo argentino um diferencial nos mercados em que ele vem.".

Fonte: Martín Carrillo O. - Consultoria Blueberries

 

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

A Fedefruta antecipa uma gestão a favor da ruralidade e da descentralização...

A incerteza reinante no transporte marítimo leva à criação de ...

Custo de referenciadores poderia eliminar a margem de lucro das frutas...