Peru começará a exportar mirtilos para a Malásia a partir deste ano

Isso depois que a Senasa conseguiu fechar um acordo, cuja exportação terá início ainda este ano. Desta forma, nosso país se consolida como o primeiro país exportador de mirtilo do mundo.

O Ministério do Desenvolvimento Agrário e Irrigação (Midagri) anunciou que os produtores peruanos poderão começar a exportar mirtilos para a Malásia, a partir deste ano; depois que o Departamento de Agricultura do país asiático (DOA por sua sigla em inglês) confirmou os requisitos fitossanitários para a importação deste produto.

Depois disso, o Serviço Nacional de Saúde Agrária do Peru (Senasa) conseguiu finalizar esses acordos e será responsável por garantir, por meio da certificação fitossanitária, o cumprimento dos requisitos estabelecidos pelos dois países.

“Continuamos comprometidos com o desenvolvimento agrícola do país, desta vez, com acesso a novos mercados para a produção nacional de frutas, proporcionando aos nossos agricultores mais oportunidades de mercado e alternativas de comercialização”, explicou Miguel Quevedo Valle, titular da Senasa.

Para a exportação deste produto para este mercado, as remessas de mirtilo devem vir de campos certificados e ter sido processadas em embalagens autorizadas; Eles também devem passar por inspeção fitossanitária, de acordo com os requisitos estabelecidos pelo país importador.

Uma vez aprovada a inspeção fitossanitária, os embarques devem ser submetidos a tratamento a frio. É importante considerar que os locais de produção e frigoríficos de mirtilo estão cadastrados na lista oficial autorizada pelo Senasa e DOA.

A Malásia é uma nova oportunidade para o mirtilo peruano, que se soma aos 58 mercados aos quais já tem acesso; Entre os principais, temos Estados Unidos, Holanda, China, Reino Unido, Canadá, Espanha, Inglaterra, entre outros, que já apreciam o pequeno fruto roxo.

Dessa forma, o Peru se consolida como o primeiro país exportador de mirtilo do mundo. conseguindo enviar na última campanha 162.459 toneladas produzidas principalmente em La Libertad, Lambayeque, Lima, Ica, Ancash, Piura; e Moquegua.

Poucos meses após o início desta campanha de exportação, o Peru já conseguiu enviar 62.724 toneladas para 31 mercados internacionais; a projeção é superar esse número, na mesma proporção que a cada ano.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Freshuelva trata do problema do acondicionamento e do seguro das frutas ...

Peru: a evolução de uma super marca

Produção de mirtilo no México cresce 5 anos consecutivos