Repensando os sistemas agroalimentares para capacitar o setor agrícola

A pandemia do coronavírus afetou os objetivos dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas e, portanto, os sistemas alimentares devem ser repensados ​​e adaptados a este novo estágio econômico e social.

Impacto da Covid-19 na agricultura

Luiselli, pesquisador do Programa Universitário de Estudos para o Desenvolvimento da UNAM e membro do Conselho Assessor do Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) para a Segurança Alimentar nas Américas, destacou o papel das pequenas cidades vinculadas ao meio rural. mudanças climáticas e o aparecimento de zoonoses, como es COVID-19, com impactos significativos nos territórios e sistemas alimentares.

“O urbano e o rural estão cada vez mais indiferenciados, estão entrelaçados, o que obriga a gerar novas políticas públicas bem pensadas e adaptadas às mudanças que ainda não terminaram”, afirmou.

Suporte agro

A pesquisadora explica que os territórios rurais também enfrentam outros afrontos como a contínua erosão da biodiversidade, o empobrecimento dos solos e o estresse hídrico generalizado com o crescimento populacional e a urbanização, com a consequente demanda por alimentos e água.

Portanto, ele disse, eleAgricultura é o coração dos sistemas alimentares e deve ser apoiada por políticas públicas que melhoram a produtividade e cobrem questões transversais para liberar seu potencial.

Políticas públicas

A crise COVID-19 É urgente a necessidade de reformas institucionais de governança dos sistemas alimentares, com apoio aos produtores públicos e privados nos quais o fornecimento de bens públicos como saúde (vegetal e animal) e infraestrutura rural é essencial.

O extensionismo sistêmico, acrescentou Luiselli, é essencial para acompanhar toda a cadeia de sistemas alimentares. Além disso, ele propôs a aplicação de subsídios diretos às pessoas em vulnerabilidade alimentar, tanto financeira como fiscal, e com o fornecimento de alimentos.

O Representante do IICA no México, Diego Montenegro, destacou que a difícil situação que vive o mundo devido ao COVID-19 Requer sistemas agroalimentares renovados e a promoção de sistemas agroalimentares localizados (SIAL), mais inclusivos e inteligentes, e novas dinâmicas de desenvolvimento nos territórios rurais.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Freshuelva trata do problema do acondicionamento e do seguro das frutas ...

Peru: a evolução de uma super marca

Produção de mirtilo no México cresce 5 anos consecutivos