Argentina: Tucumán se prepara para nova campanha de exportação de mirtilos

A campanha de blueberry está prestes a começar. Do setor privado, estima-se que poderia começar no final de setembro.
Começou como um experimento que ninguém ousou apostar e pouco a pouco está ganhando terreno na diversificação da agricultura em Tucumán. O mirtilo, do qual é tratado, é consolidado a cada ano como uma alternativa comercial real, onde a maior parte da produção é exportada. Com o mês de setembro começa a campanha de exportação desta fruta e estima-se que este ano avance, tendo em conta as condições meteorológicas.

"Estamos entrando em um estágio no qual vamos começar a exportar pesadamente o que é o setor arandanero da província e temos trabalhado e tentando nos preparar como fazemos todos os anos. Do setor privado somos anunciados que certamente no final deste mês poderíamos estar iniciando a operação que começou todos os anos em outubro e este ano provavelmente será do 20 a partir de setembro as primeiras operações“, anunciou Fernando Martorell, da área de promoção de exportação do IDEP.

Considerar "É muito possível que a campanha esteja alguns dias à frente das temperaturas que estamos tendo, mas também dependeremos do fato de que durante os meses da campanha eles continuam nos acompanhando e não temos chuva ou qualquer outro problema climático que possa nos afetar.".

Martorell comentou que “este ano, do setor privado, eles veem perspectivas muito boas de frutas. As questões climáticas até agora acompanham desde que não houve geadas nestes meses de inverno e já estamos preparando tudo o que é a questão logística sobre a qual a província trabalha muito desde o aeroporto e com todos os organismos de controle.".

Nesse sentido, destacou que “Temos mantido reuniões permanentes, não só com o que é Alfândega, Senasa, Usda, mas também com a Secretaria do Trabalho. Nós também estávamos nos reunindo com o vice-governador Juan Manzur, em tempo hábil, para fazer todas essas propostas e ver como ela poderia ser melhorada ano a ano.".

Sobre as expectativas do sacristão, ele afirmou: “Vamos torcer para que este ano possamos ter um nível maior de volume de frutas. Isso vai nos fazer trabalhar mais exigente do aeroporto e ver se podemos responder às demandas".

Finalmente, ele disse que "a operação é o mesmo que anos anteriores, tentando obter tanta fruta de Tucuman, tanto para os Estados Unidos ea União Europeia, quer voos directos ou há também a alternativa de via São Paulo com vôos regionais e em São Paulo tem uma maior redistribuição para a União Européia e os Estados Unidos".

 

Fonte: Lv12.com.ar

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

Índia remove barreiras comerciais para produtos dos EUA
Os mirtilos na Ucrânia não sofrerão possíveis geadas – opinião de especialistas
Representantes do Comitê Chileno de Frutas de Mirtilo analisaram o...