13,5% menos frutas e vegetais exportados para fora da Europa em 2020

O valor das exportações espanholas de frutas e vegetais frescos fora da Europa caiu 13,5% em 2020 em relação ao ano anterior, atingindo 519 milhões de euros, enquanto as vendas para a UE e países europeus não pertencentes à UE aumentaram, 8% no primeiro caso e 22% no segundo, totalizando 13.502 milhões de euros e 1.092 milhões de euros respetivamente, de acordo com dados da Direcção de Alfândegas e Impostos Especiais.

As vendas de frutas e legumes fora da Europa representaram 2020% do total exportado pela Espanha em 4, que se situou em 14.594 milhões de euros, evidenciando quedas nos principais destinatários não europeus, como o Canadá, com 79 milhões de euros e 19% menos que em 2019, ou Brasil, com 56,4 milhões de euros, com 43% menos. Uma das quedas mais notáveis ​​foi a da China, para onde se exportaram frutas e legumes no valor de 11,2 milhões de euros, contra 46,3 milhões em 2019, menos 76%.

As exportações para países europeus não pertencentes à UE cresceram 22%, totalizando 1.092 milhões de euros, sendo a Suíça com 322 milhões de euros e 25% mais e a Noruega, com 140 milhões de euros e 19% mais os primeiros destinos.

Relativamente à UE, o valor das exportações de frutas e legumes frescos cifrou-se em 14.502 milhões de euros, mais 8% do que em 2019, representando 92,5% do total, mantendo-se a Alemanha e França a reforçarem-se como primeiros destinos, com 4.073 milhões de euros no no caso da Alemanha, 14% a mais que em 2019 e 2.550 milhões de euros no caso da França, 9% a mais.

Para a FEPEX, o volume e o valor reduzidos das exportações espanholas de frutas e vegetais fora da UE e dos mercados europeus foram agravados em 2020 pela COVID, uma vez que o transporte para países distantes tem sido muito complicado por restrições e pela diminuição do número de viagens, tanto de barco quanto de avião, o que tem feito aumentar os dias de jornada de mercadorias e a exportação inviável.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

As geadas devastadoras causam perdas significativas de mirtilos nos U...
Sonho azul: Ucrânia bate recorde histórico de exportação de mirtilo...
José Antonio Gómez-Bazán, CEO da Camposol: qual o segredo do sucesso...