Equador e China concluíram negociações para um Acordo de Livre Comércio

O presidente Guillermo Lasso confirmou que nesta terça-feira, 3 de janeiro de 2023, foram concluídas as negociações para estabelecer um Acordo de Livre Comércio (FTA) com a China. Com isso, as exportações equatorianas terão benefícios tarifários para entrar no maior mercado do mundo.

O Ministério da Produção, Comércio Exterior, Investimento e Pesca informou que os acordos e o roteiro foram estabelecidos com o governo da China após quatro rodadas de negociações, iniciadas em fevereiro de 2022, quando o presidente fez uma visita oficial a Pequim.

Quando o tratado entre os dois países entrar em vigor, até 99% dos produtos equatorianos terão acesso preferencial na China. A pasta do Estado informou que os produtos beneficiados serão “principalmente agrícolas e agroindustriais como camarão, banana, rosas e flores, cacau, café, entre outros. Também abrirá as portas para a exportação de produtos não tradicionais como pitahaya, abacaxi, manga, mirtilo, quinoa, alimentos processados, frutas frescas e enlatadas, e um grande número de outros produtos do abastecimento agrícola e agroindustrial. "

A China é o maior mercado do planeta com 1.400 bilhão de potenciais consumidores de produtos equatorianos. Atualmente, o país asiático é o maior parceiro comercial do Equador nas exportações não petrolíferas e supera os US$ 10 bilhões anuais.

O Ministério da Produção anunciou que no tratado haverá proteções para alguns produtos agrícolas e industriais, especialmente no setor manufatureiro. O acordo também promoverá a entrada de máquinas e produtos tecnológicos com preços mais baixos.

A data de assinatura do Acordo de Livre Comércio será determinada pelos governantes de ambos os países, uma vez concluída a análise jurídica e as respectivas traduções para o espanhol e mandarim do acordo assinado.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

A indústria peruana de mirtilo se recupera e cuida de suas colheitas
«Se receberem atenção suficiente, as amoras certamente têm poder...
Agrícola Cayaltí aposta no mirtilo em Lambayeque: Qual é a sua...