Peru em breve exportará frutas cítricas e mirtilos para a Índia

O Serviço Nacional de Saúde Agrária (Senasa) anunciou que em breve os produtores peruanos poderão exportar frutas cítricas e mirtilos para a Índia.

O governo asiático colocou em consulta pública, até 31 de agosto, as exigências fitossanitárias de importação dessas frutas no site do Comitê de Medidas Sanitárias e Fitossanitárias da Organização Mundial do Comércio (OMC). Terminado o período de consulta e caso não haja comentários tecnicamente comprovados em contrário, o Ministério da Agricultura e Bem-Estar do Agricultor da Índia publicará os requisitos fitossanitários no diário oficial do país, Gazeta da Índia, oficializando as exigências fitossanitárias para que os embarques de tangerinas, laranjas, limões, toranjas e mirtilos peruanos possam chegar a este mercado.

“Continuamos comprometidos com o desenvolvimento agrário do país; neste caso, com a abertura de novos mercados para a produção nacional, oferecendo aos nossos agricultores mais oportunidades de mercado e alternativas de comercialização ”, afirmou o Chefe Nacional do Senasa, Miguel Quevedo.

Segundo dados oficiais, o Peru conseguiu exportar um total de 2020 toneladas de frutas cítricas durante a campanha de 268.000; 200.000 toneladas corresponderam a tangerinas, 19.000 toneladas a limões, 29.000 toneladas a laranjas, 18.000 toneladas a tangelos e 2.000 toneladas a toranja. As principais regiões exportadoras de citros do país são Ica, Junín e Lima; Destaque também para Piura, com as exportações de limão, além de Lambayeque.

No caso do mirtilo, o Peru se consolidou como o maior exportador mundial dessa fruta, enviando 15.972 toneladas na última safra. As principais regiões exportadoras são La Libertad, Lambayeque, Lima, Ica, Ancash, Piura e, em menor medida, Moquegua e Loreto.

Artigo anterior

próximo artigo

POSTAGENS RELACIONADAS

RESUMO GLOBAL BLUEBERRIES

Licenciamento de dispositivo para medição de firmeza de mirtilo concedido

O mirtilo andaluz faz um nicho no mercado internacional